Vai fazer cirurgia ortognática? Saiba quais são os benefícios da cirurgia.

Cirurgia Ortognática - Eclinic Odontologia

Entende-se por cirurgia ortognática aquela feita no maxilar com o objetivo de endireitá-lo.

Dependendo do seu problema, o cirurgião irá sugerir que você opere um único maxilar ou ambos na mesma ocasião.

Vale ressaltar que a cirurgia é feita inteiramente no interior da boca: não há cicatriz visível na pele.

E APÓS A CIRURGIA ORTOGNÁTICA, O QUE ACONTECE?

Depois que o maxilar tenha sido corretamente reposicionado, placas de titânio vão ser colocadas sobre o osso a fim de estabilizar o maxilar em sua nova posição. As placas de titânio são bem toleradas pelo organismo.

No fim da cirurgia ortognática, elásticos serão colocados entre os dois maxilares com a intenção de orientá-los nessa nova oclusão.

É bom saber que alguns eventos estarão presentes no pós-operatório da cirurgia ortognática, sendo importante conhecê-los bem para melhor aceitá-los.

Edema facial: após a cirurgia ortognática sempre ocorre um inchaço significativo do rosto. Isso nada mais é que uma reação pós-operatória normal, que pode variar em cada paciente.

O edema facial, de forma total, ocorre no primeiro dia depois de realizada a cirurgia e ficará mais ou menos assim por uns quinze dias. Esse edema irá desaparecendo gradualmente ao longo de 30 dias.

Lembre-se de aplicar gelo na face no período do pós-operatório, pois esse é o melhor remédio para esse inchaço facial.

Alimentação: o local de alimentação após a cirurgia ortognática é essencial para uma boa cicatrização óssea maxilo-mandibular e articulações temporomandibulares.

Recomenda-se retomar as funções mastigatórias assim que voltar para casa. Sua dieta, no início, será baseada em líquidos, nas primeiras 48 horas de internação; depois, os alimentos podem ser triturados tão logo você volte para casa.

Em seguida, o paciente vai fazendo com que sua dieta se torne mais sólida, mas sempre respeitando o seu ritmo.

Voltar a uma dieta considerada normal demora por volta de 45 dias, tempo necessário para os maxilares se consolidarem perfeitamente.

Higiene endobucal: trata-se de um ponto importante para evitar complicações após a cirurgia ortognática.

Como todas as suturas cirúrgicas ficam ocultas na boca, é imprescindível realizar uma higiene oral rigorosa, a fim de evitar que os maxilares possam ficar infeccionados.

Enquanto estiver internado, todas as instruções de higiene serão explicadas a você por uma enfermeira.

Depois que receber alta, você receberá uma receita e diversas explicações do seu cirurgião para continuar em casa a higiene endoral.

Nariz entupido: durante vários dias depois da cirurgia, o nariz tende a ficar parcial ou completamente entupido. Isso porque ocorre um edema da face e, também, devido à passagem dos tubos com anestesia pelo nariz para adormecer.

É desconfortável, mas não doloroso, e você pode, no dia seguinte à intervenção, começar a limpar o nariz para desobstruí-lo.

Dor: a cirurgia da mandíbula é uma cirurgia indolor. Analgésicos serão administrados sistematicamente assim que regressar do bloco operatório, e uma enfermeira irá visitá-lo regularmente durante a sua hospitalização para adaptar os analgésicos de acordo com a sua possível dor.

O desconforto pós-operatório dessa cirurgia é, por outro lado, muito real, ligado ao edema da face, ao uso de elásticos, às dificuldades em falar e engolir saliva e nariz entupido.

Elásticos: para guiar seus maxilares em sua nova posição, elásticos serão colocados entre os maxilares superior e inferior no fim da cirurgia.

Você precisa guardar os elásticos nos dois dias de internação, e, quando for para casa, o cirurgião vai lhe explicar tudo, em detalhes, para que você retire e substitua corretamente os elásticos em casa.

POSSÍVEIS COMPLICAÇÕES

A cirurgia ortognática é de grande porte e seu cirurgião colocará toda a sua experiência ao seu serviço para reduzir ao máximo o risco de complicações operatórias.

RISCOS COMUNS

Dor, estalos e espasmos na região das articulações temporomandibulares.

Esses sintomas indicam que as articulações estão se adaptando a sua nova posição da mandíbula.

Se esses sintomas existiam antes da operação, eles podem persistir e às vezes piorar temporariamente no pós-operatório.

Modificação da estética facial: as mudanças estéticas às vezes podem ser difíceis de aceitar e requerem ajuda psicológica para integrar seu novo rosto, mesmo que seja mais harmonioso e equilibrado.

Infecção pós-operatória: a cavidade oral não é uma cavidade estéril, visto que os locais de operação podem às vezes se infectar no pós-operatório.

RISCOS RAROS E EXCEPCIONAIS

Sangramento significativo no pós-operatório: eles podem exigir que seja realizada uma nova cirurgia.

FALTA DE CONSOLIDAÇÃO ÓSSEA

Deslocamento secundário de osteotomias: se a cirurgia não for satisfatória, o médico, em acordo com o ortodontista, pode sugerir que seja retomada a cirurgia a fim de se alcançar o resultado pretendido.

Fratura complexa intraoperatória: isso pode significar um tempo longo de imobilização da mandíbula no período pós-operatório.

LESÕES DENTÁRIAS

Podem ocorrer diversos tipos de lesões nos dentes. No entanto, não é preciso se preocupar com isso, pois o cirurgião está apto a corrigir esse problema sem lhe causar qualquer tipo de sofrimento.

Veja também:

Últimas novidades e tendências em tratamentos odontológicos